21 janeiro, 2008

Adeus Andy Palacio...


Estava a guardar um espaço para ele, proximamente, no Raízes e Antenas... e, assim, de repente, chega-nos a notícia da sua morte: Andy Palacio, que iria estrear-se este Verão em palcos portugueses, personagem em crescimento acelerado - um crescimento mais que justo! - no circuito da world music, morreu há dois dias, assim, de repente, em consequência de um AVC. Tinha apenas 47 anos de idade. O Luís Rei, no Crónicas da Terra, é o autor do obituário que eu tomo a liberdade de transcrever aqui:

«O ano de 2008 começa de forma trágica. Este fim-de-semana, Andy Palacio, figura maior da música do Belize e da cultura Garifuna, faleceu aos 47 anos, vítima de complicações cardíacas e respiratórias provocadas por um AVC. Durante o ano de 2007, Andy Palacio tornou-se numa das principais figuras do circuito de festivais de músicas do mundo. Autor de um dos mais aclamados álbuns do ano passado pela crítica especializada, Palacio que tinha sido recentemente designado pela UNESCO de «artista pela paz» e que recebeu, no passado mês de Outubro, o prémio WOMEX (que a principal feira de músicas do mundo concede ao melhor que este circuito musical tem para oferecer), viu o seu disco "Watina" ocupar por vários meses lugares cimeiros da World Music Charts Europe, ser considerado um dos quatro melhores discos pela revista britânica fROOTS e ser candidato aos prémios de "world music" de 2008 da BBC Radio 3, na categoria de melhor álbum. Carlos Seixas, programador do FMM, que desejava apresentar Andy Palacio e a sua banda Garifuna Collective na décima edição do Festival de Sines, ficou em "estado de choque" quando recebeu a notícia, referindo que a morte de Palacio é uma "grande perda para o Belize e para o mundo da música". Andy Palacio, como verdadeiro herói nacional que é no seu país natal, terá na próxima sexta-feira honras de uma cerimónia fúnebre de estado, estando planeado em sua memória a realização de um grande concerto na cidade do Belize. Recorde-se que, de acordo com palavras dos editores Ivan Duran e Jacob Edgar da "label" norte-americana Cumbancha, referiram ao site World Music Central que, na cultura Garifuna, "a morte de um ente querido é uma oportunidade de celebrar a sua memória e de agradecer a bênção de essa pessoa ter feito parte das suas vidas"».

6 comentários:

ANNA-LYS disse...

Hello António,
Hope You are having a great music journey around the world and keep us informed even during 2008!

(( kram ))

António Pires disse...

Hello Anna-Lys,

Thank you. The journey continues, even when we have sad news like this one: the death of a great artist, Andy Palacio.

((kram))

MGB disse...

Li a notícia triste. não digo nada porque o que teria para dizer não seria nunca mais bonito do que o silêncio.

Beijos.

António Pires disse...

MGB:

Tens razão.

Beijo.

Tíu Cancho disse...

:'(

António Pires disse...

Tiu Cancho:

Como dizia a MGB, o silêncio é a única resposta possível. Porque a música, essa, continua nos nossos corações...

Um grande abraço até Espanha...

António