05 agosto, 2008

Festival Bons Sons - Há Festa na Aldeia!


A aldeia de Cem Soldos, perto de Tomar, recebe nos dias 22, 23 e 24 de Agosto mais uma edição do Festival Bons Sons e com um cartaz de respeito, que faz justiça ao nome do festival: os brasileiros Pedra Branca, Munchen, Galandum Galundaina, Kumpa'nia Al-gazarra e o djing de Suuh & Pin Up Piracy (dia 22), Duo Sellium, Power Trio, o projecto musical e performativo «Sem Título Até Hoje...», O'QueStrada, Deolinda (na foto, de Menina Limão), Tora Tora Big Band com Rão Kyao e os DJs Athletic Cocktail (dia 23), Bombos de Lavacolhos, Grupo de Pauliteiros de Palaçoulo, Roncos do Diabo, Brigada Victor Jara e DJ Rubi Tocha (dia 24). O festival inclui ainda uma feira de marroquinarias, exposições e música para crianças, entre outras actividades. Mais informações, aqui.

9 comentários:

margarete disse...

'tou capaz de ir espreitar...

"maispeixe" fez-me rir tanto :D

António Pires disse...

Margarete:

Bem-vinda! E sim, o programa do Bons Sons é uma tentação!

(pois, «maispeixe» :))

menina limão disse...

Ontem, enquanto me espraiava na esplanada do Andanças, vi pessoal a colar cartazes desse festival. Gostei muito da selecção, tenho pena de não poder ir (mas também tenho esperança de ver algumas dessas bandas um dia).

António Pires disse...

Menina Limão:

E o Andanças, como foi?... Ai, a inveja mascarada de curiosidade jornalística ;) ;)

menina limão disse...

O Andanças foi terapêutico. Aprendi danças novas, matei saudades doutras tantas. Houve bailes muito bons: Amanida Folk, Triple X, Uxu Kalhus, Fol&Ar, Trio Lam, Ginginha Grátis, Monte Lunai, La Machine, Balameth Quartet, etc. Este ano, apesar de estar mais gente do que o ano passado, as tendas pareceram-me menos caóticas. Também me chateei menos pela falta de espaço porque já estava preparada para isso.
Mas o Andanças corre sérios riscos, no meu entender. Defendo, tal como o ano passado, que se imponha um limite de pessoas. É até de lei que se respeite uma lotação. Eu não consegui lugar no camping calmo e fui para o outro. Senti-me a acampar no Sudoeste. A quantidade de grupos de pessoas que lá foram pelo convívio, como se de um outro qualquer festival de Verão se tratasse, era assustadora. A quantidade de gente embriagada, igualmente. O ano passado nem me lembro de ver ninguém bêbeda, desta vez até houve porrada entre dois arruaceiros, armados em machões. Público errado. Demasiado. Pode parecer elitista, mas é assim que penso. Quem não vai para dançar nem para se interessar pelo que ouve e pelo que vê, não devia ter lugar ali. Só estraga o ambiente. Mas, enfim, já sabia que o Andanças se transformava num arraial no fim-de-semana. De resto, tudo óptimo. Houve uma jam improvisada na zona da alimentação, que foi uma espécie de momento Beirut: juntaram-se vários músicos de sopro e de percussão e duas concertinistas e fizeram a festa. Foi lindo, lindo. Tudo somado, era mesmo do que eu estava a precisar para as minhas férias. Vê lá tu que nem pensei em trabalho.

António Pires disse...

Menina Limão:

Muito obrigado pela partilha (mesmo que assim me tenhas aumentado a... inveja :)) E olha que bem podias usar este mesmo texto como post no teu blog!!

Beijinhos...

menina limão disse...

:)

Post não sei se farei, mas estou a pensar copiar o comentário e reproduzi-lo em casa própria, se me perguntarem o mesmo. ;)

(não digas a ninguém que sou preguiçosa)

António Pires disse...

:))

Não, não digo :))

(ah!!! e ainda não te tinha agradecido a foto! Agradeço agora: muito obrigado!!!)

menina limão disse...

De nada, estás à vontade. ;)