14 setembro, 2007

Há Fado Feito no Estrangeiro? Há Pois, Cada Vez Mais...



A propósito de algum sururu em fóruns de discussão sobre fado acerca do destaque que é dado a artistas não portugueses que cantam no filme «Fados», de Carlos Saura - artistas como Lila Downs, Chico Buarque ou Lura -, enchi-me de coragem para meter a minha colherada em defesa do fado e da sua interpretação ou re-interpretação por parte de cantores e cantoras estrangeiros, com o «argumento», se tal fosse preciso, de que o fado é uma forma musical como outra qualquer e de que não é necessário nascer em Alfama ou beber uns copos no Bairro Alto - ou, no caso de Coimbra, ir carpir mágoas amorosas para a Quinta das Lágrimas -, para que o fado possa ser interpretado, ou reinterpretado, por quem o quiser. Ah, e a questão da alma, da saudade, etc, etc... Coisas menores, acho eu: já ouvi verdadeiro rock feito no Porto, excelente hip-hop feito na Amadora, já ouvi a Petra - dos Nobody's Bizness - a cantar blues como muito pouca gente e uns almadenses de nome Melech Mechaya a fazer klezmer como se fossem judeus de gema.

Vai daí, decidi deixar aqui vários nomes - mais do que aqueles que estava à espera quando iniciei a pesquisa - de cantores e cantoras estrangeiras, e também de intérpretes de guitarra portuguesa, que fazem do fado a sua música ou uma das suas músicas de eleição. Goste-se ou não - e isso já depende de cada um dos seus ouvintes -, é importante dar com eles: quase todos têm sites ou estão no myspace. Procurem-nos, por favor.

No Japão - onde a diva Amália Rodrigues deixou sementes, fruto das suas históricas actuaçõe por lá - há, pelo menos, duas cantoras de fado: Hideko Tsukida e Marie Mine. Ambas são neste momento acompanhadas, na guitarra portuguesa, por Masahiro Iizumi, que começou por tocar tango em guitarra clássica mas, desde há alguns anos, desenvolveu um estilo próprio na guitarra portuguesa.

No Brasil, para além do fado fazer parte da «ementa» de muitos locais de reunião de portugueses, cantores importantes como Caetano Veloso, Fáfá de Belém, Ney Matogrosso ou o já referido Chico Buarque (o maravilhoso «Fado Tropical») interpretaram fados. E Vinicius de Moraes compôs para Amália.

Há guitarras portuguesas espalhadas um pouco por todo o mundo, nas mãos de vários músicos - Jimmy Page, dos recém-ressuscitados Led Zeppelin, que ao consta nunca a conseguiu tocar por ser «muito difícil», mas também alguns mais corajosos como músicos do grupo argentino La Chicana ou do grupo belga Timna, que acompanhou a cantora Ghalia Benali num Intercéltico do Porto, há alguns anos atrás.

Em França há alguns luso-franceses a aventurar-se no fado: a já conhecida e respeitada cantora Bévinda, o jovem intérprete de guitarra portuguesa Philippe de Sousa e até um acordeonista que adapta fados para o seu instrumento: Toucas. Mas mais surpreendente é o caso de uma cantora franco-argelina, Alima, cantora do grupo Monkomarok, que a solo diz cantar um «fado franco-algérien», evocando influências de Steve Reich e... dos Madredeus.

Luso-americana, e agora radicada em Lisboa, a cantora e actriz californiana Michelle Pereira é um caso paradigmático de muita gente que se deixou apaixonar pelo fado. Actriz de algum sucesso nos Estados Unidos (pode ser vista, por exemplo, no filme «Os Dez Mandamentos - O Musical», ao lado de Val Kilmer, e chegou a entrar na série «Friends), há alguns anos veio estudar o fado para Portugal e por cá ficou.

Na Catalunha, o grupo EnFado - o nome diz tudo -, de Lérida/Lleida, existe desde 2002 e é um quarteto composto por Càrol Blàvia (voz), Raquel Garcia (violino e guitarra clássica), Carles Garrofé (guitarra clássica) e Gus Garcia (baixo acústico), cujas influências são Dulce Pontes, Mísia, Kátia Guerreiro, Mariza, Amália Rodrigues e... Maria del Mar Bonet.

Em Itália, desde há muitos anos que o intérprete de guitarra portuguesa Marco Poeta é conhecido. Recentemente, e já com um álbum editado, criou o projecto O'Fado (na foto), no qual conta com os famosos cantores Eugenio Finardi e Francesco Di Giacomo e com a jovem cantora Elisa Ridolfi, Michele Ascolese (guitarra acústica) e Paolo Galassi (baixo acústico). Também de Itália é outro intérprete de guitarra portuguesa, Loris Donatelli.

De Toronto, no Canadá, há notícias de um grupo, 15, liderado por Catarina Cardeal (voz) e Mike Siracusa (guitarra), que dá concertos de fado/blues. Dos 15 fazem também parte John Yelland (contrabaixo), Lou Bartolomucci (guitarra acústica e eléctrica) e Claudio Vena (viola d'arco e acordeão).

Finalmente - e obrigado Luís Rei pela dica -, também do Canadá vem um dos nomes mais surpreendentes: a cantora indo-canadiana Kiran Ahluwalia, que no seu último álbum, «Wanderlust», mistura poesia urdu com fado e blues saharianos. Na gravação do álbum, Kiran contou com a participação de José Manuel Neto (em guitarra portuguesa) e Ricardo Cruz (baixo acústico).

Se calhar, isto é apenas a ponta de um iceberg que está a crescer. E ainda bem! A ouvir sem preconceitos...

Nota: E aqui mais alguns acrescentos, fruto de pesquisas posteriores e, principalmente, da valiosa contribuição de leitores deste blog (muito obrigado!): os grupos argentinos Luz de Lágrima e Fadeiros, a fadista catalã Névoa, a basca Maria Berasarte, a francesa Jenyfer, o luso-francês Lúcio Bamond, a brasileira Joanna (com um dos seus álbuns inteiramente dedicado ao fado), a mexicana Marcela Ortiz Aznar, a polaca Marzena Nieczuja-Urbanska, a holandesa Nynke Laverman, a croata Jelena Radan, a chinesa Cao Bei e a indiana Sónia Shirsat. Para além disso, em comentário recente, chegaram os acrescentos de Charles Aznavour como compositor de alguns fados, um tema de Tom Waits inspirado no fado («The Part You Throw Away») e o álbum «Fadista» da cantora holandesa Lenny Kuhr.

50 comentários:

Lalage disse...

É bom saber que o fado está mesmo a tornar-se uma música do mundo.

António Pires disse...

Lalage (ou Zé?... nunca sei como chamar-lhe):

Pois é! E se calhar há muitos mais grupos, cantores e guitarristas a fazê-lo e eu não consegui descobrir... A propósito, se alguém quiser fazer acrescentos, esteja à vontade...

Anónimo disse...

Em Catalunha há também uma fadista chamada Névoa, com tres cd's no mercado, com influencias de muitas fadistas portuguesas como Dulce Pontes, e que está a fazer uma carreira impecável.

António Pires disse...

Olá Anónimo ou Anónima:

Muito, muito obrigado pelo acrescento!!! E não quer identificar-se?... Volte sempre!

António Pires disse...

E... como isto é um «work in progress» também já «descobri» entretanto mais uma fadista em França, Jenyfer, que publicou o álbum «Quem Serei Sem Ti?»; e o fadista luso-francês Lúcio Bamond, de Lausanne, já com cerca de trinta anos de carreira. Venham mais...

un dress disse...

li e aprendi...mas já tinha reconhecido sonoridades do fado por diversas vezes...
/onde não era suposto!

tudo tende para novas combinações o que é interessante....às vezes ouve-se que já não há nada pra inventar...

/pois parece que está tudo aí disponível pra ser reinventado!! :)




abraÇo e beijO
/e fados reinventados...

António Pires disse...

Un-Dress:

Sim, tudo tende para novas combinações - e as combinações, em música, são infinitas. Só é preciso, muitas vezes, estar de ouvidos abertos e aceitá-las... É esse um dos grandes fascínios desta arte.

Abraço e beijo e «reivenfados» ;)

Chá de Lucia Lima disse...

Obrigada, obrigada, obrigada...por este assunto: Fado na actualidade!
Não vou dizer -- + 1 vez -- que conheço já esses srs. & sras., da nova geração Fado: estou farta de "os" dar a conhecer.O certo é que há mt que os descobri e não tenho problemas em dizer k os ouço: contrário a mts que conheço -- por acharem k é ser kota!
Ah, mas o pessoal de mais idade tbm precisa de ser educado pois, habituados que estão a ouvir o fado do antigamente, sempre que aparece um novo valor: fazem comparações e, nem sempre na melhor direcção. Recentemente, num espectáculo em que a Fadista Cristina Branco actou -- com letra Grande: ya! :-) -- ouvi nas minhas costas umas sras. comentar: << ...Mas isto não é fado!>>
Só reagiram quando a Cristina interpretou um fado da Amália: << Ah, agora sim: é fado!>>
Não as entendi, confesso! Seria pela forma característica da Cristina...sem xaile e, sentando-se no chão do palco cantando com toda a alma de fadista...?!!!
Será que só há uma forma de cantar o FADO? Tenho descoberto vozes lindas de portugueses que estão no estrangeiro e interpretam o Fado associado ao Jazz...uuiiiii até arrepia! Outra forma: mas é FADO!

Chá de Lucia Lima disse...

Voltei p'ra dizer que, Catarina Cardeal: é um espanto!!!! Ouçam também -- directamente do México: Marcela Ortiz Aznar!
Ah, e as "guitarras" no feminino: Marta Pereira da Costa e no masculino: Pedro Joia....hummm como se nota, há um manancial a explorar: fiquem bem! :-)

António Pires disse...

Lúcia Lima:

Muito, muito obrigado!! Há, de facto, um novo fado, feito por cá e também... noutros sítios. Cristina Branco também é uma das minhas cantoras favoritas!!! E obrigado por me teres dado a conhecer a Marcela Ortiz Aznar: é uma cantora espantosa!!

Isto está a crescer. Era esse o objectivo! Obrigado a todos!!

isabel victor disse...

Fantástico !

Este blog merece um prémio. Muitos prémios.

Excelente !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Diversidade
Qualidade
Comunicação
Emoção

ARTE

sara disse...

Num pais onde os seus habitantes tem no fado a sua musica de eleição e veja-se Cristina Branco que eles tiveram a sorte e o tacto de a conhecer primeiro, Nynke Laverman, conhecida como a fadista lá da terra, editou em 2004 “Sielesâlt” um disco com a alma do fado... e seguiram-se outros projectos como o ultimo “fado blue”.
mais uma para uma imensa lista de fadista no mundo..

António Pires disse...

Isabel:

Muito, muito obrigado!! Também gosto muito do seu Caderno de Campo!

Sara:

Muito obrigado pelo acrescento de mais um nome que eu não conhecia. O da cantora holandesa Nynke Laverman, que canta fado em... frísio! Este post está a crescer imenso em informação graças à sua e às outras contribuições... Obrigado, mais uma vez!

esdras disse...

Aqui no Rio de Janeiro, no bairro Ipanema, tinha (nem sei se ainda existe) uma casa de fado muito famosa, chamada "A Desgarrada". freqüentada por famosos fadistas portugueses, icl. Amália Rodrigues e onde muitos artistas brasileiros beberam dessa fonte e não resistiram a interpretá-lo e até ensaiar algumas composições (caso do chico e Ruy Guerra, caetano, Vinicius etc). O Fado é praticamente universal.
Parabéns pelo blog que acabo de conhecer.
Esdras.
E.T. A Joana tb. gravou CD muito bonito.
(esdras_meireles@terra.com.br)

António Pires disse...

Esdras:

Muito obrigado também pela sua contribuição! E sim, tem razão, a cantora brasileira Joanna também editou um álbum inteiramente composto por fados... Volte sempre!

Petra disse...

Basta uma pequena menção aqui para sentir que ganhei um grammy ou algo ainda maior.

Sabes lá tu o que eu gosto de ti. :)

António Pires disse...

Petra:

Ui!!! Vou começar a falar de ti em todos os posts!!!... E, sim, também gosto muito de ti!!! :)

Petra disse...

Obrigado a ti, por seres um sol inteiro.

ELERITZ disse...

um excelente post, ou melhor, artigo:) pessoalmente, sou grande fã da frísia nynke laverman, é uma grande fadista:)
e acrescento mais um nome a lista: marzena nieczuja-urbanska, artista radicada na cidade de gdansk que canta fado em polaco e dá concertos de fado nos teatros da dita cidade (pessoalmente nao gosto nada das interpretacoes dela mas fica para o registo). um abraço

António Pires disse...

Eleritz:

Muito obrigado pela contribuição e pelo acrescento de mais um nome à lista (mesmo que não goste interpretação). Não fazia a mínima ideia que havia fado em polaco :)

Boa continuação do excelente Divas Internacional e um abraço...

Elen de Moraes disse...

Concordo!
E quero acrescentar que conheci uma fadista excelente, na California, chamada Jesualda de Azevedo. Uma voz maravilhosa, um sentimento à toda prova! Alguém precisa mostrar ao mundo aquele grande talento!
Parabéns pelo ótimo texto.
Bem hajas!
Elen de Moraes

António Pires disse...

Elen:

Muito obrigado pelas palavras e, claro, também pela sua contribuição!!! Vou já investigar a Jesualda de Azevedo...

Volte sempre!

Cardo disse...

Excelentes propostas.

A não perder também é a cantora Jelena Radan, croata, com um album só de fados denominado "Moja Potraga za Fadom", gravado ao vivo em Zagreb (creio...)
Vale a pena.

António Pires disse...

Cardo:

E mais um acrescento... inesperado! Muito obrigado!!! É tão bom ver esta lista a crescer ao longo do tempo!!!

Abraço!

Marcela Ortiz A disse...

Olá Caro António Pires e tudos!
Fico muito conmovida de ler os comentários.
Que posso dizer? Que muita gente "purista" diz que o fado só é para portugueses mas cuando alguém ama tanto um lugar, uma música nao há fronteiras. Conheci seu belo país no 2003 e voltei em 3 ocasioes mas.
Amo Portugal, amo o Fado e sempre tento cantar o fado com muito respeito e carinho.
Sou uma mexicana-americana namorada da língua portuguesa.
Peco disculpas por meu portunhol e Muito muito obrigada por ter espreitado meu nome na internet.

PARABENS pelo Blog, muito bem feito.
Viva o Fado, Viva Portugal
Meu sonho: algum día fazer um concerto de Fadistas estrangeiras. Partilho este sonho convosco!

Desde México, Marcela Ortiz Aznar
beijinhos.

António Pires disse...

Marcela:

Concordo contigo (e se leres o meu texto vais ver que defendo o mesmo): não é preciso nascer num determinado sítio para se cantar a música desse lugar. Só é preciso sentir!!! Muito obrigado pela tua visita e deixa-me partilhar desse sonho: era mesmo muito bonito conseguir fazer-se um concerto só com fadistas não-portugueses!!

Bem-vinda ao Raízes e Antenas e um grande abraço!

Hugo Jorge disse...

A AIDGLOBAL apresenta o espectáculo de solidariedade O FADO ACONTECE que decorrerá no dia 10 de Novembro, pelas 22h00, no Forum Lisboa. Celeste Rodrigues, Raquel Tavares, Ana Sofia Varela, Sofia Amendoeira, Hélder Moutinho, Ricardo Ribeiro, Artur Batalha, Luís Pinheiro, Luís David. Mais informações em www.aidglobal.org

Cláudia Tulimoschi disse...

Fico feliz em ver que se fala do Fado que se canta fora de Portugal. Gostaria de acrescentar que há fadistas portugueses, isto parece redundância, mas quero dizer fadistas nascidos em Portugal e que fizeram suas carreiras em outros países. Aqui no Brasil temos vários e muito bons. Como dica, visite o blog da fadista Adélia Pedrosa, nascida na Praia do Pedrógão, em Leiria e que construiu sua carreira no Brasil, com apresentações em Portugal e Argentina. O blog de Adélia é: http://adeliapedrosa.blogspot.com Obrigada e sucesso ao seu blog.

António Pires disse...

Caríssima Cláudia:

Muito obrigado por mais este nome que juntou ao rol!! E volte sempre, claro!

Jenyfer Rainho disse...

Olà, muito bom dia a todos,

Gostava de acrescentar a lista dos fadistas radicados aqui em frança:

Vozes masculinas:
Joaquim Campos,
Joaquim Botelho,
Diogo Rocha,
Sousa santos
Vitor do Carmo
Carlos neto

Vozes femininas:
Eugenia Maria (antiga Eugenia Pinto,
Cinda castel,
Liza Maria,
Mané Santos,
Claudia Costa,
Julia silva,

Guitarra Portuguesa:
Manuel Corgas
Philipe de Sousa
Manuel Miranda
Alberto Maia

Viola:
Casimiro (mirito)
Flaviano Ramos
Pompéu
Adriano Dias
E tinha-mos um grande viola e cantor de fado: José Machado (porto) radicado hà algums anos em França que nos deixou acerca de um ano. o Fado perdeu uma joia preciosa, que Deus lhe dé o descanço tao mereçido, atè sempre, eterno amigo...


Graças a Deus e ao Amor da nossa patria e do nosso Fado, pudemos dizer qu'aqui tabem aconteçe, Fado e fado à serio...

Apenas quiz deixar aqui algums nomes e peço desculpa se por motivos algums me esqueçi de nomes activos d'aqui.

Um abraço para todos do tamanho do mundo e uma boa continuaçao ao 'chef' deste blog.
Jinhos

António Pires disse...

Caríssima Jenyfer:

Muito, muitíssimo obrigado pela sua contribuição e muitas felicidades na sua carreira de fadista em França!! Volte sempre :)

OF disse...

- Fafá de Belém tem um álbum de fado

- Aznavour compôs alguns fados

- Tom Waits ofereceu um tema a Ute Lemper inspirado num fado

- Lenny Kuhr (que ganhou o festival da Eurovisão) tem um disco intitulado "Fadista"

http://www.youtube.com/watch?v=de7pHhCaRLE

http://in-senso.blogspot.com/2008/05/franz-schubert-amlia-rodrigues-e-suzy.html

António Pires disse...

Caro (cara?) OF:

A Fáfá de Belém já estava referida no texto mas muito, muito obrigado, pelos acrescentos... E foi uma vergonha ter-me escapado esse tema de Tom Waits, já que sabia dele... Entretanto, não quer identificar-se?

Um grande abraço...

óscar disse...

Pesquisando no youtube

- k.d. lang “Fado Hilário” (de certeza que também sabia)

http://www.youtube.com/watch?v=c-6USJNHIXI

- Naomi Chiaki canta Amália Rodrigues / Naufragio

http://www.youtube.com/watch?v=Vthf3nBtHdY

- Monica Molina Pequeño fado

http://www.youtube.com/watch?v=9wnAyOR_PgI

- OLGA CERPA / MESTISAY - "Pequeño Fado"

http://www.youtube.com/watch?v=fkH8y0QLkKk


Melhores Cumprimentos,

Óscar

Anónimo disse...

Fado da Madragoa (em Francês)

http://www.dailymotion.com/relevance/search/cloches%2Bde%2Blisbonne/video/x6pmai_papygerard-les-cloches-de-lisbonne_music

Existem versões de Maria Candido, Tino Rossi, Luis Mariano, Gloria Lasso, ...

António Pires disse...

Caro Óscar,

Mais uma vez, muito obrigado por estes acrescentos... E, já agora, também deixo aqui a sua atenção para outro post deste blog dedicado à colectânea «Coimbra», que tem inúmeras versões deste fado de Coimbra adaptado no estrangeiro com o título «Avril au Portugal» ou «April In Portugal»...

m. cruz disse...

Mais acrescentos:

1) Pasión Vega - Lejos de Lisboa (2003)

http://www.youtube.com/watch?v=X4wFATNSZbI&feature=related

"la música fue escrita por el compositor Ernesto Halffter (1905-1989) para una letra popular portuguesa anónima" (julgo que será de uma canção "Ai, qué linda moça")

2) Antonella Ruggero (ex-vocalista do grupo italiano Matia Bazar) apresentou em 2004 um espectáculo de homenagem a Amália Rodrigues

Omaggio ad Amalia Rodrigues (Fado): Antonella interpreta brani come Coimbra, Uma casa portuguesa, Lisboa Antiga, che hanno reso celebre Amalia Rodrigues in tutto il mondo, rileggendoli in chiave moderna ma senza mai tradire lo spirito e il fascino originari del Fado. Questo concerto ha avuto un grande successo anche in Portogallo, patria di Amalia Rodrigues, dove ha debuttato al festival “Sete Sóis Sete Luas” (20 giugno 2003).

manuel disse...

Mais acrescentos:

1) Pasión Vega - Lejos de Lisboa (2003)

http://www.youtube.com/watch?v=X4wFATNSZbI&feature=related

"según cuenta Pasión la canción tiene su historia, la música fue escrita por el compositor Ernesto Halffter (1905-1989) para una letra popular portuguesa anónima. Un día, su representante Paco Gordillo asistió a un recital de la soprano María Bayo, en el que cantó la canción acompañada al piano, tras la audición contactaron con la familia de Halffter interesándose por el tema y tras muchos meses de espera les proporcionaron las partituras que estaban editadas en París, después Pablo Guerrero hizo la adaptación al castellano de este bellísimo fado con el título original Ai, qué linda moça (una entre sus Seis canciones portuguesas - textos populares, 1940-41), que podemos escuchar en su versión original portuguesa en la grabación en la voz de la soprano María José Montiel junto al piano de Miguel Zanetti"

2)Antonella Ruggero, ex-vocalista do grupo italiano Matia Bazar, apresentou em 2004 um espectáculo de homenagem a Amália

Omaggio ad Amalia Rodrigues (Fado): Antonella interpreta brani come Coimbra, Uma casa portuguesa, Lisboa Antiga, che hanno reso celebre Amalia Rodrigues in tutto il mondo, rileggendoli in chiave moderna ma senza mai tradire lo spirito e il fascino originari del Fado. Questo concerto ha avuto un grande successo anche in Portogallo, patria di Amalia Rodrigues, dove ha debuttato al festival “Sete Sóis Sete Luas” (20 giugno 2003).

Mais uma curiosidade: existe uma cantora de hip-hop chamada La Mala Rodriguez
Não sei se será alguma referência (ainda que inconsciente) a Amália Rodrigues (chama-se Maria Rodriguez Garrido)

http://es.wikipedia.org/wiki/La_Mala_Rodriguez

António Pires disse...

Óscar e Manuel (ou são a mesma pessoa?):

Gostava mesmo que se identificasse(m). Mais um bocadinho e é (são) membro(s) honorário(s) do Raízes e Antenas! Quanto à La Mala Rodriguez não sei, mas que o nome tem piada lá isso tem!

Entretanto, há mais uns possíveis acrescentos a este já longo «dossier» com a recente notícia - de que dou conta agora, em Novembro de 2008, neste blog - de que o novo álbum da fadista Maria João Quadros tem uma série de fados com música composta por autores... brasileiros.

Um abraço...

António Pires disse...

E mais um nome a acrescentar à lista: a da indiana Sónia Shirsat, que recentemente actuou no Museu do Oriente, em Lisboa.

rui disse...

Parabéns pelo blog

Mais um nome: a cantora basca Maria Berasarte, uma das convidadas para os recentes espectáculos de Carlos do Carmo

António Pires disse...

Rui:

Muito obrigado (pelos parabéns e pelo acrescento)!

Volte sempre...

lena disse...

Muito legal

Ver outra matéria legal em

http://blogdesitonio.blogspot.com/2007/11/msica-mestia-o-mundo-lusfono-formado.html

"O gaúcho e negro Caco Velho ainda compôs, para Amália Rodrigues, um sincretismo de bailinho (português) e de samba, como é a peça Conselho, e outras experiências nos anos cinqüentas. Luís Gonzaga, ainda nos anos cinqüentas, criou o fado-baião Ai, ai Portugal; Dorival Caymmi também fez sua parte, e compositores recentes, como Chico Buarque e Caetano Veloso, fizeram fado sincrético. Meu amigo e conterrâneo Sivuca experimentou o ritmo sul-africano upakanga (acrescente-se a isso o fato de ter sido maestro de Miriam Makeba e do Duo Ouro Negro). Uma dúzia de compositores estão reunidos no LP Fados Brasileiros (editora Marcus Pereira), na voz de Paula Ribas. E Gal Costa tem um grande momento na tropicalização de Milho verde, tradicional português, com arranjo de Gilberto Gil (o próprio milho é uma contribuição das culturas americanas à economia européia). A mestiçagem musical também se manifesta em Cabo Verde, com Sara Tavares, Cesária Évora e Tito Paris, e em Angola, com Pedro Flores e Felipe Mukenga."

http://blogdesitonio.blogspot.com/2007/11/msica-mestia-o-mundo-lusfono-formado.html

António Pires disse...

Lena:

Muito obrigado pela participação!!! E não quer identificar-se melhor? É só Lena?

Feliz Natal!

rui disse...

O cotonete está a noticiar que Maria Berasarte vai apresentar em Lisboa (no dia 13 de Junho no Castelo de São Jorge) os fados do seu álbum de estreia "todas las horas son viejas" com letras escritas em espanhol por Tiago Torres da Silva

António Pires disse...

Rui:

Muito obrigado pela participação! Por uma feliz coincidência do destino entrevistei ontem a Maria Berasarte a propósito desse álbum e desse concerto. Vai poder ler essa entrevista na Time Out de dia 10 de Junho. Um abraço...

Rui Marx disse...

Encontrei agora o site de uma cantora luso-americana Ramana Vieira

http://www.ramanavieira.net/index.html

http://en.wikipedia.org/wiki/Ramana_Vieira

Ramana Vieira is a contemporary American singer of the traditional Portuguese Fado. She has been called "The New Voice of Portuguese World Music."

zip-zip-1969-2009 disse...

http://www.portuguesetimes.com/Ed_1980/Util/beat.htm

* Ruth “Só à estalada” Marlene

* Michelle Brito

* Estranhas formas de fado [em vez de uma adenda talvez desse para um novo post ou para uma republicação do artigo de Eurico Mendes]

http://www.portuguesetimes.com/Ed_1979/Util/beat.htm

* A questão da tradução

Blogger disse...

Mais uma adenda

"Maria Nazionale, a lady singing a style that reminds of Portuguese Fado, brings E' colpa mia to the next level, getting 52% of the votes"

http://www.youtube.com/watch?v=W1MSzKDTevc

http://www.youtube.com/watch?v=ovrjMcKlsqs

Quando questionada, ontem na RAI 1, sobre o facto do seu estilo de música ter semelhanças com a música de Cesária Évora e com o fado, fiquei com a ideia que estará a pensar explorar melhor essas afinidades

Anónimo disse...

Há uma portuense radicada na galiza que canta o fado divinalmente MARIA DO CEO. mariosantosf54@gmail.com