23 janeiro, 2009

Lula Pena e Norberto Lobo - Um Encontro Feito no Céu


É o melhor encontro (improvável... ou nem por isso tão improvável quanto isso) da estação: uma das melhores cantoras portuguesas (e não só!!) junta-se a um dos melhores guitarristas portugueses (e não só!!) para um concerto único e que se espera inesquecível: Lula Pena (a cantora) e Norberto Lobo (o guitarrista) actuam amanhã, na ZDB, em Lisboa... E eu espero ter bilhetes (dois, pelo menos). A seguir, o comunicado da ZDB. que lhes faz toda a justiça:


«Sábado, 24 de Janeiro às 23h00

LULA PENA & NORBERTO LOBO (PT)

A convite da ZDB, Lula Pena e Norberto Lobo encontram-se pela primeira vez em palco para um concerto em conjunto, concretizando os esboços traçados num breve e fortuito encontro na edição de 2008 do Festival Bom, no Barreiro.

O acaso juntou-os, e juntos descobrem agora as palpitações da forma, estabelecem cadeias de relação, encadeiam experiências na procura da emoção pura. Voz e guitarra que ficam na pele, como se tivesse sido sempre assim, como se não pudesse ser de outro modo.


Lula Pena
Lula Pena ouve sons e quer expressá-los através do seu corpo, tendo como instrumento uma voz; como som do rio a tremer, da terra a respirar, do céu a crescer. Uma voz, um apelo da memória de alguém que ouve com os sentidos todos e quer revelar, naturalmente, as conversas secretas com o seu próprio coração; esse músculo vermelho e esponjoso, que sobrevive de irrigações constantes e vive de ritmos ora mais lentos ora mais rápidos.
Ela sente a idade da terra e o peso de tão grande dimensão, quer cantar as suas memórias mais antigas, quer cantar as raízes do mundo com a fatalidade de quem sabe que a vida é curta para tão longa viagem. Dar a voz ao canto da fatalidade. Da lonjura. Do destino. Da tragédia.
(...)
Musicalmente, pretende mexer na raiz do fado inventado por Amália, na raiz da música inventada por Caetano Veloso e Chico Buarque, na raiz da morna de Cesária Évora, nas raízes Populares de autores anónimos. O caminho é muito longo e a vida muito curta, Lula Pena aceita a tragédia e quer protagonizá-la... Hoje lusófona, amanhã árabe, depois africana... A fusão musical de raízes comuns e distintas, próximas e longínquas. Os desafios, os riscos e as metas, o culminar duma crença – a Terra mãe de todas as músicas – isto é Lula Pena.
In www.attambur.com

+ Info: Myspace|Vídeo|vídeo|Entrevista


Norberto Lobo
Com apenas uma guitarra, invariavelmente acústica, Norberto Lobo - 26 anos de Lisboa inscritos na pele - procede a um pequeno grande milagre. O seu recente "Mudar de Bina", concentra em pouco mais de trinta minutos, dez imaculadas canções - sempre instrumentais - de uma maturidade rara, num todo profundamente português. Traz Carlos Paredes no coração, dedicando-lhe o disco. Mas a música do jovem guitarrista apropria-se de outros elementos: as melodias e as harmonias tanto evocam a nossa música popular, como sugerem anos e anos a ouvir e tocar música brasileira. O dedilhado recorda-nos os ensinamentos de John Fahey e toda a Escola Takoma. Apesar da curta carreira, Norberto Lobo já partilhou palcos com incontornáveis como Devendra Banhart, Larkin Grimm ou Lhasa».

2 comentários:

isabel victor disse...

Os anunciados bilhetes sempre apareceram ? Que tal ? Fiquei com curiosidade.


Um beijo


iv

António Pires disse...

Isabel Victor:

Que prazer receber uma visita tua! Já visitei os teus novos blogs mas ainda tenho saudades do antigo... apesar de gostar muito dos novos! E, sim, os bilhetes lá estavam... E, sim (bis), o concerto foi lindíssimo, um momento único na música portuguesa que deveria ter sido gravado (não sei se foi, mas era bom que tivesse sido). Só tenho pena que o Norberto Lobo não tivesse tido mais espaço para as suas composições - e isto apesar de venerar profundamente a Lula Pena!

Um beijo e volta sempre...