12 maio, 2008

Poeira Cósmica - In Memoriam Fernando Magalhães


Temos todos muitas saudades dele. Da sua inteligência, da sua ironia, do seu arrevesado sentido de humor, dos seus conhecimentos enciclopédicos sobre muitas músicas. Como escrevi uma vez, algures, ele era o melhor de nós todos. E todos nós aprendemos - tanto!!! - com ele. Para mitigar as saudades, se não dele pelo menos dos seus textos, Tiago Carvalho criou um blog em que transcreve críticas, reportagens e artigos de Fernando Magalhães, apropriadamente chamado Poeira Cósmica. Para continuarmos a aprender.

Nota: segundo alerta o meu bom amigo João Almeida, há também outro local onde se podem encontrar textos do Fernando Magalhães: o site FM: Stereo 5.1.

9 comentários:

Petra disse...

Saudade, saudade, saudade.

rui g disse...

O «poeira cósmica» vai já para os meus favoritos. Também aprendi bastante com os textos do Fernando Magalhães. Não sei se era o melhor, porque é um julgamento que não consigo fazer, mas ensinou-me a gostar muito por ex. dos Malicorne, The Bothy Band, La Ciapa Rusa, June Tabor (bem, aqui foi mais o João Lisboa que usou as frases certas para despertar a minha paixão), os Chieftains, Muzsikás, Lo Jai, Riccardo Tesi e muitos, muitos mais. Algumas vezes não estava sintonizado com ele, como é natural, mas a minha admiração é imensa.
Obrigado ao António Pires pela recordação.

António Pires disse...

Petra:

Tantas...

Rui G:

De nada. O Fernando merece estas recordações e muito mais.

Um abraço

Eduardo F. disse...

Também eu, devorador dos primeiros números da MC do meu pai, aprendi, com o Fernando Magalhães, a acreditar que hoje se continua a fazer boa música. Música folk, sobretudo. Depois disso, há mais coisas. E fiquei a saber muito com o que escrevia sobre o rock dos 70...

Lembro-me de uma coisa (tenho esse exemplar do Sons guardadinho, juntamente com outros) em comum com o Fernando: o disco da minha vida é o Pawn Hearts e o cantor leva também as mesmas iniciais.

E ele, que passou a vida a escrever crónicas, sempre que vinha a propósito do mestre, dizendo que as edições em cd dos discos dos Van der Graaf Generator eram uma lástima, morreu pouco antes de eles serem reeditados.

Também isso é triste.

(Obrigados por nos lembrardes o Fernando. Vou visitá-lo, para ler o que não cheguei a conhecer).

António Pires disse...

Eduardo F:

O teu comentário é tão bonito! Obrigado! Às vezes oiço discos e penso o que é que o Fernando pensaria sobre eles: o novo álbum dos Mandrágora, por exemplo, está feito à medida dele... Mas eu acredito que ele há-de estar em algum lado a ouvir esse e muitos outros discos.

Um grande abraço!

Rini Luyks disse...

Olá António,

Muito bom: "Poeira cósmica" e também o site "FM:Stereo 5.1", onde encontrei uma referência incontornável e saudosa: a discoteca "Contraverso" no Bairro Alto onde Fernando dava os seus conselhos.
Na altura, fim dos anos '80, eu era músico de rua, tocava todas as noites na Rua do Carmo no acordeão o meu repertório de música tradicional europeia. Uma noite abordou-me uma senhora: "Sou amiga de Fernando Magalhães, o jornalista, conheces? Vai ter com ele na loja "Contraverso", ouvir coisas!"
Só essa frase já indica o universo que ele criou a volta dele.
Uns anos mais tarde formei com os viseenses Fernando Alagoa e José Valor os "Lucretia Divina" e Fernando Magalhães acompanhou o nosso percurso. Ainda tenho um artigo dele num "Blitz" de Setembro '93 sobre a nossa primeira parte do concerto dos "Einstürzende Neubauten" na Voz do Operário.

Um aparte: por associação lembrei-me dum outro senhor generoso, quanto à divulgação de música menos conhecida, Luís Carlos da editora Symbiose. Em 1996 ele editou com grande coragem o (único) disco do grupo "Boris ex Machina", projecto liderado por Armando Teixeira no qual participei. Na loja "Symbiose" conheci por exemplo a música do grupo romeno "Taraf de Haidouks" muito antes da fama que tem agora.
Felizmente a loja na Rua de Arroios ainda existe! Amanhã vou lá ter, tenho uma aluna de acordeão lá mesmo ao lado...

Rini disse...

P.S. Vasculhando a (curta) história dos "Boris ex Machina" descobri um blogue http://ascausasperdidas.blogspot.com/ que só funcionou durante meio ano, mas com info interessante. Até tinha uma crítica italiana (post 21-5-2007) "Capolavoro!" em relação ao trabalho dos "Boris". Surpresa!

António Pires disse...

Caro Rini:

Muito obrigado pela tua contribuição para este «in memoriam»».

Um grande abraço

Tiago Carvalho disse...

Retorno ao interior [Boris Ex Machina]:
http://poeira-cosmica-fm.blogspot.com/2008/05/retorno-ao-interior-boris-ex-machina.html

Boris Ex Machina - Tango Infernal:
http://poeira-cosmica-fm.blogspot.com/2008/05/boris-ex-machina-tango-infernal.html