19 abril, 2007

José Afonso - Outras Homenagens



Dia 24 (ou, segundo outras fontes, dia 25) de Abril, a RTP e a TV Galiza vão transmitir um espectáculo de homenagem a José Afonso (na foto), «Gala Homenaxe a Zeca», que, contam as crónicas - vf. na reportagem do Diário de Notícias - foi um momento de comunhão único entre artistas portugueses, galegos e africanos, irmanados à volta da música e da memória de José Afonso. No concerto, realizado no Paço da Cultura de Pontevedra, participaram, pelo lado espanhol Luis Pastor; pelo lado galego as cantoras Uxia e Mercedes Péon, as pandeireteiras e cantoras Faltriqueira, Trexadura, Narf, duas velhas glórias do rock galego - Víctor Coyote e Antón Reixa (dos Resentidos) - e ainda Benedicto, Miro Casabella e Xico de Cariño; pelo lado português Dulce Pontes, Vitorino, Janita Salomé, Sérgio Godinho, Júlio Pereira, Zeca Medeiros, João Afonso e Cantadores do Redondo; e, pelo lado africano, Tito Paris, Manecas Costa e Jon Luz. O grande ausente da Gala, por motivo de doença, foi Suso Iglesias, director da TV Galiza, organizador do espectácilo e ex-companheiro de José Afonso em muitos espectáculos, tocando gaita.

Entretanto - e numa altura em que se multiplicam as homenagens a José Afonso, agora que passam vinte anos sobre a sua morte -, a conimbricense Banda Futrica, projecto paralelo aos Ginga numa vertente mais acústica, apresenta o seu primeiro álbum, «Com Zeca no Coração», dia 30 de Abril no Convento de São Francisco, em Coimbra. O álbum - em que participam como convidados Isabel Silvestre, Helena Lavouras, Emiliano Toste, Luís Peixoto, Luis Ferreira e Gaiteiros da Espiral - é, segundo a banda, um tributo «àquele que tanto nos ensinou através da sua música e poemas! Foi em Coimbra que Zeca Afonso, ainda estudante, teve os primeiros contactos com a dureza da vida do povo, dos “futricas” de Coimbra». O álbum da Banda Futrica sucede a outros lançamentos discográficos que têm José Afonso como mote e inspiração - dos Frei Fado d'El Rei, Couple Coffee e Erva de Cheiro - e a espectáculos baseados na sua obra assinados pelo grupo Drumming, a fadista Cristina Branco e o Opus Ensemble, entre muitos outros. Venham mais...

4 comentários:

José Bonito disse...

A obra do Zeca é imortal! Vi o concerto da Cristina Branco no S.Luís e quero ver o Drumming no CCB. Que mil "Grândolas" floresçam!

Rini Luyks disse...

Olá António,

Assunto que não tem nada a ver com este post (embora...talvez um bocadinho). Apareceu um site de homenagem ao Farinha ("Ocaso Épico"). Tu tens a ver com isto!?
http://www.myspace.com/ocasoepico .
Isto por causa do teu post anterior em Cromos XII.4 do dia 9 de Fevereiro. Uma iniciativa fantástica! Até está lá o vídeo da emissão RTP "Tempos Modernos" da qual falei no meu comentário. Emocionante!
Agora espero recuperar rapidamente aquela gravação em CD da nossa (eu, Farinha e cantora Donzília dos Lucretia Divina) versão de "Vai,Maria, vai" de Zeca Afonso (o link com este post, afinal!)

Abraço,

Rini Luyks

António Pires disse...

Olá Rini!

Não, não tenho nada a ver com essa homenagem no myspace, mas todas as homenagens ao Farinha são bem-vindas! Obrigado pelo link!

E um grande abraço

*Thais Aux* disse...

Eu não vi o primeiro Romeu e Julieta.. mas de Encontros e Desencontros eu gostei bastante. Cinema é muito bom, né?

Vou voltar aqui mais vezes, bjs!