16 abril, 2008

Deolinda - Cantar a Tristeza, Rindo!


O álbum de estreia dos Deolinda (na foto, de Mário Pires, da Retorta), «Canção ao Lado», está prestes a ser editado. E, a propósito do projecto e do álbum, o texto que se pode ler a seguir é o «press-release» oficial de lançamento do disco, que o grupo me pediu para fazer. Convite a que acedi, com muita honra...

Há uma longa série de clichés associados ao fado. Por exemplo, o fado tem que ter guitarra portuguesa. Os Deolinda não usam guitarra portuguesa. Ou, o fado tem que ser sisudo, sério, compenetrado, fatalista e triste. Os Deolinda não são nada disso. Ou ainda, o fado não pode ser dançado. E dança-se com os Deolinda. Ou, para terminar, a fadista tem que vestir de preto, como se estivesse no seu próprio funeral. Ana Bacalhau, a voz dos Deolinda (a Deolinda, ela própria?), veste roupas garridas, alegres, coloridas.

Mas os Deolinda são... fado, apesar disso tudo, e são muito mais que fado, por causa disso tudo e de tudo o mais que a sua música contém. Uma música que vai à música popular portuguesa - um universo que aqui abarca José Afonso e António Variações, Sérgio Godinho, Madredeus e os «muito mais que fadistas» Amália Rodrigues e Alfredo Marceneiro - e vai ainda à rembetika grega, à música ranchera mexicana, ao samba, à música havaiana, ao jazz e à pop, numa confluência original e rara de músicas-irmãs ou primas umas das outras e que, nos Deolinda, fazem todo o sentido.

Nos Deolinda, a música e as letras (geralmente de um humor fino, mordaz, por vezes absurdo, de outras surrealista, mas também capazes de fazer lembrar a pena de José Afonso, como em «Clandestino») são, em todas as canções, de Pedro da Silva Martins, guitarrista do grupo que, juntamente com o irmão - e igualmente guitarrista dos Deolinda - Luís José Martins, tinha antes feito parte dos Bicho de 7 Cabeças. Há dois anos, convidaram a prima Ana Bacalhau, então vocalista dos Lupanar, a cantar algumas das primeiras canções compostas para um novo projecto, ainda sem nome. E foi com ela - e com o contrabaixista Zé Pedro Leitão, também dos Lupanar, que se juntou ao projecto logo de seguida - que o conceito Deolinda começou a tomar forma. Um conceito que, com o desmembramento das duas bandas anteriores (Lupanar e Bicho de 7 Cabeças) nesse ano de 2006 e a vontade dos quatro em abraçar um projecto novo e original, cristalizou nos Deolinda.

Dois anos - e vários concertos memoráveis depois -, os Deolinda lançam agora o seu álbum de estreia, «Canção ao Lado», com catorze temas originais gravados pelos quatro nos estúdios Valentim de Carvalho, em Paço de Arcos, com produção do grupo e de Nélson Carvalho. No álbum participam ainda o percussionista João Lobo (pandeiro em «Garçonete da Casa de Fado») e muitos amigos dos Deolinda - Mitó Mendes (A Naifa), Norberto Lobo (Norman/Munchen), Mariana Ricardo (ex-Pinhead Society/Munchen), Joana Sá (também ex-Pinhead Society, agora nos Power Trio, ao lado de Luís José Martins), Gonçalo Tocha, Didio Pestana (ambos ex-Lupanar), Artur Serra e Carlos Penedo (ambos ex-Bicho de 7 Cabeças), entre outros - nos coros de «Movimento Perpétuo Associativo» e «Garçonete da Casa de Fado». Um grupo de amigos que se estende ao autor de banda-desenhada João Fazenda, que ilustrou o disco, e a Catherine Villeret e (mais uma vez) Gonçalo Tocha, que realizaram o divertidíssimo e surreal teledisco de «Fado Toninho», o primeiro single retirado de «Canção ao Lado».

O álbum «Canção ao Lado» é editado dia 21 de Abril, numa parceria da Sons em Trânsito com a iPlay.


Os Deolinda são:

Ana Bacalhau (voz)

Pedro da Silva Martins (composição, textos, guitarra clássica e voz)

Zé Pedro Leitão (contrabaixo e voz)

Luís José Martins (guitarra clássica, ukelele, cavaco, guitalele, viola braguesa e voz)



Alinhamento de «Canção ao Lado»:

1 - «Mal Por Mal»
2 - «Fado Toninho»
3 - «Não Sei Falar de Amor»
4 - «Contado Ninguém Acredita»
5 - «Eu Tenho Um Melro»
6 - «Movimento Perpétuo Associativo»
7 - «O Fado Não É Mau»
8 - «Lisboa Não É a Cidade Perfeita»
9 - «Fon-Fon-Fon»
10 - «Fado Castigo»
11 - «Ai Rapaz»
12 - «Canção ao Lado»
13 - «Garçonete da Casa de Fado»
14 - «Clandestino»

Próximos concertos:

25 de Abril: Festival de Música "Sirenes" Estarreja, Aveiro
26 de Abril: Showcase - Fnac Coimbra
27 de Abril: Showcase - Fnac Viseu
29 de Abril: Showcase - Fnac Chiado Lisboa
30 de Abril: Showcase - Fnac Colombo Lisboa
7 de Maio: Concerto de Lançamento - Cinema S. Jorge - Lisboa
9 de Maio: Valado de Frades
10 de Maio: Centro Cultural Vila Flor- Guimarães
17 de Maio: Centro Cultural de Ílhavo
24 de Maio: Centro de Artes de Sines
30 de Maio: Salão Brazil - Coimbra
31 de Maio: Passos Manuel - Porto
27 de Junho: Festival MED - Loulé
28 de Junho: Galeria do Desassossego - Beja
12 de Julho - Festas do Almonda - Torres Novas
19 de Julho: Teatro Municipal da Guarda
31 de Julho: Centro Cultural e de Congressos das Caldas da Rainha
1 de Agosto - Tavira
9 de Agosto: Festival Sudoeste - Zambujeira do Mar
23 de Agosto: Festival Bons Sons - Tomar

Myspace:

http://www.myspace.com/deolindalisboa

7 comentários:

laura disse...

Falta em cima desta mesa uma travessa de pataniscas de Bacalhau ;)))))

A Deolinda é rapariga para gostar dum bom petisco e do seu copito de quando em vez, não?... :)

António Pires disse...

:))))

Pois é!!! E acho que a Deolinda ainda nos vai pagar umas pataniscas e uns copos de tinto :)))

Beijos...

António Pires disse...

Ah, e esqueci-me de dizer que gostei muito do teu Poema da Deolinda :)

menina limão disse...

ena, grande agenda de concertos. adoro-os e felizmente já os vi ao vivo.

António Pires disse...

Menina-Limão:

E podes voltar a vê-los! Vão passar pela(s) tua(s) zona(s) :)

laura disse...

O meu poema? Ora... :) São só umas palavritas... Mas obrigada! :))

António Pires disse...

Laura:

De nada :))