19 dezembro, 2006

Prendas no Sapatinho 1 - Richard Thompson


O Natal é sempre uma boa desculpa para investir, por via directa ou indirecta, em objectos (livros, CDs, DVDs...) mais caros do que o habitual, seja através da magnífica invenção que é a auto-prenda («Quer que embrulhe?», «Não, não é preciso, é p'ra mim») quer através da pedinchice descarada aproveitando o flanco aberto do inimigo («Então netinho, o que é que queres que eu te dê este Natal? Meias?», «Não, não, deixe estar, pode ser só a caixa de cinco CDs do Sufjan Stevens»). A caixa de cinco CDs do Sufjan Stevens também entra nesta minha lista, mas para já, aqui fica o Sr. Richard Thompson...


RICHARD THOMPSON
«1000 Years of Popular Music»
Cooking Vinyl

O mote para esta aventura extraordinária de Richard Thompson foi, diz ele, um convite que a «Playboy» lhe lançou e a mais alguns artistas: «Escolha as dez melhores canções dos últimos mil anos». E, diz Thompson, pensou: «Hipócritas, eles querem é uma lista das melhores canções dos últimos vinte anos...». E vai daí, pimba!, pôs-se a pesquisar canções com centenas de anos, juntou-lhe algumas mais recentes e a lista da «Playboy» transformou-se num espectáculo e um destes espectáculos (em São Francisco, Estados Unidos) neste magnífico DVD, com dois CDs audio com o mesmo alinhamento acoplados. Aqui, Richard Thompson (se for necessário referi-lo: o cérebro por trás dos primeiros anos dos Fairport Convention e um dos maiores senhores da folk britânica dos últimos, oops!, mil anos), ocupa-se da guitarra acústica e da voz, acompanhado por Judith Owen (teclas e voz, e que voz!!!, em alguns dos temas que ela canta a solo) e Debra Dobkin (percussões e coros), e revisita canções sagradas e profanas medievais e renascentistas, madrigais e canções vitorianas, cantos de marinheiros e o music-hall britânico do início do séc. XX, passando por Inglaterra, Itália e Escócia. Depois atira-se à música para filmes de Hollywood, a Cole Porter e a Nat King Cole, ao rock'n'roll via Jerry Lee Lewis e à country via Buck Owens. E à pop - estão aqui os Kinks, os Squeeze, os australianos Easybeats e... Britney Spears, com uma divertidíssima versão de «Oops!... I Did It Again» (com uma parte - risos - que parece saída do bolso de um trovador medieval!). No encore há mais três docinhos: o standard «Cry Me a River», um tema de uns tais Bowling For Soup e uma delirante canção de piratas. O todo é uma maravilha completa que, para além do prazer que nos proporciona como excelentíssimo objecto de escuta que é, põe uma questão só relativamente palerma: quantas mais canções dos últimos mil anos será preciso redescobrir? (10/10)

5 comentários:

ANNA-LYS disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
FANCY disse...

HOLA Antonio!
The first snow have now arrived it is like a white powder outside and really cold. I like it. for me it is no christmas without snow.
GOD JUL MERRY CHRISTMAS
FELIZ NATAL

António Pires disse...

Hello Fancy!

Thank you very much for your Christmas message!

I wish you an excellent new year and (even without snowing in the south of Portugal)...

God Jul!

Anónimo disse...

caro antónio: o senhor thompson já alguma vez tocou em Lisboa? consegue-me dizer isto?
abraços.
alexandre

António Pires disse...

Alexandre:

Não, o Richard Thompson nunca tocou em Lisboa (nem em parte nenhuma de Portugal). O que é uma pena...

Abraços...