07 dezembro, 2007

Cantos na Maré - A Cantar É Que a Gente se Entende


O alargado e, muitas vezes, polémico conceito de «lusofonia» tem na música - e no canto (sejam cantos em português de Portugal, em crioulo cabo-verdiano, com sotaque brasileiro ou angolano, em galego...) - a sua face mais luminosa e mais facilmente conglomeradora de ideias, de vontades e de uma (ou várias?) língua comum. E o já clássico festival Cantos na Maré, uma ideia da cantora galega Uxía, é um dos expoentes maiores desta ligação entre povos irmãos, culturas irmãs, músicas ainda mais que irmãs de tão misturadas que estão. Este ano o Cantos na Maré conta com a presença das cantoras e cantores Uxía (Galiza), Manecas Costa (Guiné-Bissau), Mercedes Peón (Galiza), Ceumar (Brasil), Nancy Vieira (Cabo Verde; na foto) e JP Simões (Portugal), que são acompanhados por uma banda formada por Paulo Borges (piano e acordeão), Paco Charlín (baixo), João Ferreira (percussão), Jon Luz (cavaquinho), Quiné (batería), Amadeu Magalhães (cordas, flautas), Davide Zaccarías (violoncelo) e Óscar Fernández (acordeão e sanfona). O espectáculo principal decorre dia 15 de Dezembro no Pazo da Cultura de Pontevedra, mas para além do concerto haverá ao longo dos dias anteriores encontros de músicos e projecção de documentários musicais. Mais informações aqui.

4 comentários:

isabel victor disse...

Embalo-me aqui

obrigada !

Bj* musical

António Pires disse...

Isabel Victor:

Embalo é uma palavra tão bonita! Embalo de berço; embalo de cadência; embalo de ritmo; embalo de correspondência.

E eu é que agradeço!

Beijo de muitas músicas...

Chá de Lucia Lima disse...

Eu tbm m'embalo aqui mas...depois do que acabei de ver...fico amuada por viver tão a SUL!!!!!!!! Este Canto da Maré seria o Festival ideal para mim!

É que.........não substituiria nenhum dos participantes!

Mas mesmo amuada: aqui vai um kandandu! :-)))

António Pires disse...

Lúcia-Lima:

Mas olha que do Algarve à Galiza é um pulinho ;)

Agora a sério: percebo o teu amuo e é uma pena que este fabuloso festival (pela ideia e pelos nomes que leva este ano e já levou em anos passados) não tenha uma extensão em Portugal...

((Kandandus))