12 dezembro, 2007

U2 - Um Tributo Africano!


Agora que passam vinte anos sobre a edição de «The Joshua Tree» - o álbum em que os U2 (na foto, de Anton Corbijn) vão em busca das raízes negras e africanas do rock (os blues e o gospel) e em que na poesia de Bono passa a ter lugar uma reflexão continuada sobre as questões do chamado Terceiro Mundo -, data assinalada com a remasterização e várias reedições luxuosas desse álbum, chega também a notícia - via, mais uma vez, Crónicas da Terra - de que vários artistas africanos vão lançar um álbum só com versões de temas da banda irlandesa. O álbum, «In The Name Of Love: Africa Celebrates U2», é uma edição da Shout! Factory e parte da receita angariada com a sua venda reverterá para a Global Fund. Com edição prevista para Abril de 2008, no disco participam alguns dos maiores nomes - consagrados ou emergentes - da música africana: Angélique Kidjo («Mysterious Ways»), Vieux Farka Touré («Bullet The Blue Sky»), Ba Cissoko («Sunday Bloody Sunday»), Vusi Mahlasela («Sometimes You Can't Make It On Your Own»), Tony Allen («Where The Streets Have No Name»), Cheikh Lô («I Still Haven't Found What I'm Looking For»), Keziah Jones («One»), Les Nubians («With Or Without You»), Soweto Gospel Choir («Pride [In The Name Of Love]»), Sierra Leone's Refugee All Stars («Seconds»), African Underground All-Stars («Desire») e Waldemar Bastos («Love Is Blindness»). Promete!

11 comentários:

laura disse...

O "Love Is Blindness" é daquelas músicas que me fazem sempre chorar, de tão bonita...

António Pires disse...

Laura:

A canção é linda, mesmo!!! E, apesar de gostar imenso do Waldemar Bastos, imaginava-a mais na voz de Amadou & Mariam. E não é por ambos serem... cegos!! É que têm uma canção de temática semelhante e muito muito bonita: «Je Pense a Toi».

A letra é:

Je pense a toi, mon amour, ma bien aimee
Ne m’abandonne pas, mon amour, ma cherie
(x4)

Quand je suis dans mon lit, je ne reve qu’a toi
Et quand je me reveille, je ne pense qu’a toi
(x2)

Refrain
(x2)

Si je ne te vois pas, je ne peux rien dire
Je ne peux rien faire, je ne peux rien voir
Je ne veux rien savoir
Mon amour, ma cherie
(x2)

Refrain
(x2)

Certains t’ont promis la terre
D’autres promettent le ciel
Il y en a qui t’ont promis la lune
Et moi je n’ai rien que ma pauvre guitare

inominável disse...

Ei António, que bela noticia! Fiquei cheio de curiosidade para ouvir isso!
Abraço.

laura disse...

Que bonito! :))

António Pires disse...

Dário:

Também eu estou em «pulgas», salvo seja, para o ouvir!

Grande abraço...


Laura:

:))

MGB disse...

Parece mesmo que promete... Já agora, para além das novidades do post, também foi um prazer ler os diálogos de continuação aqui na caixa. Dei com mais musicas que não conhecia.
Beijos

Joao Almeida disse...

Grande António, agora fizeste lembrar-me do Messias a espalhar a boa nova.
E datas? Quando é que sai essa pérola? O Joshua Tree foi dos discos que mais me marcou na adulescência.

God bless you!

António Pires disse...

MGB:

Se te referes a Amadou & Mariam, na continuação dos diálogos, podes saber um pouco mais deles em algumas referências neste blog. A música deles é uma maravilha!

Beijos...


João Almeida:

Que saudades! As reedições do «The Joshua Tree» ou já estão à venda ou vão para as lojas no início da próxima semana. E o «tributo africano» sai a 1 de Abril do próximo ano.

God bless U2!!! ;)))

Emílio Augusto disse...

Ora viva, «descobri» hoje este blog enquanto procurava informação que finalmente encontrei.

Muitos parabéns, o bolg está muito completo e é muito interessante!

Ainda bem que um dia inventaram esta maravilhosa maneira de as pessoas poderem ter acesso democrático aquilo que são os seus interesses, em parte graças à boa vontade de muita gente, entre a qual o fundador deste excelente blog.

Saudinha.

António Pires disse...

Emílio Augusto:

Muito, muito obrigado pelas plavras que aqui deixou sobre o Raízes e Antenas!!! É sempre bom ver o nosso trabalho reconhecido e apreciado!!! Volte sempre...

Felicidades para o seu blog e um abraço

Emílio Augusto disse...

Obrigado, os desejos e os votos são recíprocos.

Abraços!