04 julho, 2008

Festival Andanças - O Programa (Quase) Completo


E vem aí mais um Andanças! À semelhança dos últimos anos, o maior festival português de música e danças tradicionais - e não só! - decorre em Carvalhais, S.Pedro do Sul, desta vez entre 4 e 10 de Agosto. Com muitos grupos portugueses: Alafum, Bailebúrdia, Banda Filarmónica de Castro Verde (que encerrará o Andanças com um mega-baile), Cornes, Dyabara, Fol&ar, Galandum Galundaina, João Gentil & Luís Formiga, King Mokadi, Mandrágora, Melech Mechaya, Monte Lunai, Mosca Tosca, Mu (na foto; de Hugo Lima), Musicalbi, Nação Vira Lata, No Mazurka Band, OliveTree, Pé na Terra, Rabies Nubies, Semente, Teresa Gabriel & Rodrigo Maurício, The Most Wanted, Tanira (a confirmar), Toques do Caramulo, Tor, Uma Coisa Em Forma de Assim, Uxu Kalhus, Velha Gaiteira e Ventos da Líria, entre outros. Mais uns quantos estrangeiros: Amanida Folk (Espanha), Belamath Quartet (França), Bruel (Espanha), Észtenas (Hungria), Ginginha Grátis (França), Inquedanzas (Galiza), La Machine (França), Patxi Eta Konpania (País Basco), Trio Lam (França), Triple-X (Bélgica), Viis (Estónia), Violons et Talons (França) e Tarantelle Abusive (Itália), entre outros. E ainda mais alguns em concertos na igreja: Al-Jiçç, Osmavati e Trovas d'Amigo, entre outros.

As oficinas de dança já confirmadas são: Africana Tribal (Eva Azevedo); Andinas (Paolo Herrera, dos Intichaski); Baile Balcânico (Gerard Mechanomoff, dos Violons et Talons); Bálticas (Hedvig Priimagi, dos Viis); Belgas (Jean-Philippe Legrand); Biodanza (Joanildes Medeiros); Bretãs (Flore Deshayes); Cabo Verde (Zé Barbosa); Canadianas (Trio Bestvater); Canizade (António Tavares); Capoeira (Umoi Souza); Castelhanas (Daniel Peces); Chacarera (Folclore Argentino por Oscar & Gladys); Chamarritas dos Açores (Carla Gomes); Ciganas Macedónia/Romenas/Sérvias (Sophie Kalisz); Dança Natural (Beatrix Gutbub); Escocesas (Roger Picken e Sue Willdig); Europeias (pelos Ginginha Grátis, Triple-X e Eva Parmenter); Europeias de linha (Rita Duarte); Europeias de roda (Rita Duarte); Fandango (Patxi Perez); Flamenco & Rumbas (Patrícia Fragoso); Forró (Erica e Pablo); Funk (Mayuka); Fusão de Raízes Tradicionais (Petchu); Galegas (Alexandre Fernandez Castro, dos Inquedanzas); Havaianas (Sofia Franco); Hip Hop (XL); Holandesas (Mirjam Dekker); Irlandesas (Patrícia Vieira); Itália do Norte (Monica Sava); Jazz improvisação (Dança Duende por Liliane Viegas); Kizomba (Petchu); Lindy Hop (Abeth Farag); Novas Portuguesas (NMB Lab); Oriental (por Elsa Sham's e Cris Aysel); Pauliteiras de Miranda do Douro (Pauliteiras); Poitou (Lucas Thebaut, do Trio Bestvater); Polinésias (Vanessa/Primigenius); Portuguesas (por Isabelle Guerbigny e Margarida Moura); Sapateado Americano (Polyanna Jazzmine); Sevilhanas (Marta Chasqueira); Street Dance (Pacas); Tango Argentino (Novo Tango por Juan & Graciana); Toscas (Alexandre Matias, dos Mosca Tosca); e Valsas Mandadas (Manuel Araújo). E, neste rol, entram também os ranchos folclóricos que ensinam e interagem com os «andantes»: os portugueses Grupo de Trajes e Cantares de São Cristóvão de Lafões, Rancho Folclórico Casa do Povo de Souselo, Rancho Regional Casa do Povo de Ílhavo, Rancho Folclórico de Vila Cã, Rancho Folclórico da Boidobra, Grupo de Folclore de Ponta do Sol e Grupo Etnográfico "Os Esparteiros" de Mouriscas e os estrangeiros Grupo d’Arte Popular de Berstett (França) e Companhia de Dança e Música Folclórica "Hueyitlatoani" (México). Para tudo o resto - que é tanto! - o melhor mesmo é consultar o site oficial da Pé de Xumbo, aqui.

6 comentários:

menina limão disse...

hummm...não conheço quase nada dos estrangeiros, logo não fico muito entusiasmada. agrada-me a ida dos amanida folk e do trio lam. rever triple x será bom, bruel assim-assim. excelente era se trouxessem o delicq, que vinha o ano passado e depois cancelou.

António Pires disse...

Menina Limão:

Mas tu vais lá para ver concertos ou para dar corda às sabrinas, sandálias e sapatilhas? ;) ;) Agora a sério: acho que este é dos melhores programas dos últimos anos do Andanças - se olharmos para o rol de grupos portugueses temos ali a Selecção A da folk/trad nacional :)

Boas (an)danças :))

menina limão disse...

vou lá pelas duas coisas, claro. a questão é que grupos portugueses vão sendo fáceis de ver e de dançar ao som de - por isso vejo no Andanças uma oportunidade de ver bandas estrangeiras que não chegam cá tão facilmente ou não chegam mesmo no resto do ano. no entanto, até pode ser um bom sinal não conhecer grande parte dessas bandas: se significar ter boas surpresas, tanto melhor para o meu reportório musical.

António Pires disse...

Menina Limão:

Eu sei, estava a brincar :)) E sim - a menos que sejam daqueles casos em que passei muito tempo à espera de ver algo que conheço e de que gosto muito sem o conseguir -, também gosto sempre mais do factor surpresa e/ou desconhecimento quando vejo uma banda ou artista... No Andanças (fui lá, que me lembre, em quatro edições... inesquecíveis) aconteceu-me várias vezes, tanto nos palcos como em intermináveis jams até ao nascer do dia... Este ano acho que não vou conseguir ir ao Andanças mas fico com uma pena que nem te conto :(((

menina limão disse...

ó. :(

António Pires disse...

Ó, mesmo... :(( O problema é a quantidade de festivais e as viagens entre festivais (uns no sul, outros no norte, outros no nordeste, etc...). E como vou estar dez dias em Sines, no FMM, e a seguir vou para Odeceixe - e como, ainda por cima, vou pôr música nos dois festivais (não é só «curtir» ;) -, não acredito que consiga entremear o Andanças entre os dois... Mas que tenho umas saudades enormes do Andanças, lá isso tenho...