29 julho, 2008

FMM de Sines - «Os Gamíadas» (Ou um Proto-Poema Semi-Épico) - CANTO II, Segunda Parte




Contra Schengen e o Que o Acordo Significa


Na «nossa» Europa nós podemos circular
Livres e felizes como cidadãos de primeira
Mas músicos de fora não podem vir cá tocar
A Europa é uma fortaleza, uma má fronteira


Contra o que Schengen agora significa
Deixamos aqui estas singelas palavras
Um protesto contra a Europa, que é rica,
Contra os políticos e suas políticas parvas



De Outros Sons, Instrumentos e Cantares

Ainda não falei, oh que injustiça que é,
Dos Last Poets e do seu hip-hop original
Dos n'gonis mágicos do Bassekou Kouayté
E da jovem Danae, que canta lá no Choupal


A ventoinha do Tenor faz muito frio
Mas a «muxima» do Bastos dá-nos calor
É tão boa a música do Moscow Art Trio
Já lá diz o filme: da Rússia, com amor


O Vinicio Capossela é diabo e é marajá
Os Dead Combo vão ao western e ao fado
E o Justin Adams com o Juldeh Camara
Fazem rock com África ali bem ao lado


Já o Toto, o Bona e o Lokua Kanza
Juntam África, o funk e o grande jazz
E sei quem os viu com uma boa ganza
E teve alucinações que não eram nada más


Alucinações, para alguns as primeiras,
Tivemos também com o Silvério Pessoa
Acabámos todos a ver mangas e papaieiras
Porque aquela forrózada é mesmo da boa


Ao Andy Palacio nós prestamos homenagem
Ao Dizu Plaatijes nós tiramos o chapéu
Do Castelo já vemos a torre de menagem
Alta, garbosa, recortada contra o céu


O Acto Final e o Baile de Despedida


Tocam ela na pá e ele numa guitarra
A Erika Stucky e o Jean-Paul Bourelly
Amam acima de todos o Hendrix, o Jimi,
E estão a encantar a malta já cansada


Mas nessa noite, nessa noite final,
Quem encanta mais é a Rokia Traoré
E os Boom Pam mais o seu festival
De klezmer, Balcãs e sixties ié-ié


Mas para que tudo fique bem acabado
Faltavam ainda as nossas danças finais
Com os amigos do Bailarico Sofisticado
E deste escriba, que para o ano quer mais


Alguns Dias Depois e A Saudade Já É Tanta


Alguns dias depois e a saudade já é tanta
Da música, dos amigos, da Lua e do mar
Olhem lá, quando é que a «famiglia» janta
Para que estas saudades a gente possa matar

Pode ser caril e feijoada vegetariana
Ou um rolo de carne com massas chinesas
Em casa do Vítor, da Petra ou da Ana
Assim haja vontade e enchemos as mesas

Almirante Seixas, estás já convidado,
Para o repasto desta malta que te ama
E olha, se ainda não estiveres cansado,
Podes fazer outro FMM já para a semana!


(Nota: o clip da actuação do Bailarico Sofisticado que encabeça este post é do João Gonçalves, dos Grandes Sons)

9 comentários:

Anónimo disse...

António:

Estás mais magro ou é impressão minha? ;)

CR

António Pires disse...

Olá Carlos!

Grumpfff... Não estou nada, pelo contrário!! Mas acho que a luz da manhã não me favorece muito ;)

Um grande abraço...

Anónimo disse...

bardo antónio, capitão das letras, bravo guerreiro da madrugada final! estou pronto e preparado com um carregamento de tinta roriz e tinta amarela para a jantarada da famiglia! abraço. carlos s

Chá de Lucia Lima disse...

Tá espectacular! Em especial esta parte:


"...Mas a «muxima» do Bastos dá-nos calor..." Tudo onde se põe a "muxima"......fica quentinho!:))

Kandandus muitos!

António Pires disse...

Almirante Carlos:

Serás devidamente avisado!! :))

Um grande grande abraço!

Lúcia Lima:

Estava a falar da canção... mas também podia falar do «coração» ;))

((kandandus))

menina limão disse...

que lindo, pá. nunca imaginei que o espírito fosse o mesmo dos bailes tradfolk. que cena contagiante. fiquei roída de inveja. tenho de experimentar o Sines. (e já agora adianto que não faço a mínima ideia se conseguirei ir ao Andanças. só se conseguir acabar o trabalho que tenho em mãos e não me parece. a coisa está preta e eu vou deprimir se não puser lá os pés.)

António Pires disse...

Menina Limão:

Pois foi, foi lindíssimo! E, apesar de ser a terceira vez que ponho música no FMM de Sines, esta - pela dimensão do «massivo» à minha frente, por ter sido o encerramento e por estar rodeado de amigos (das outras duas vezes foi com o Gonçalo, outro grande muito grande amigo!)... foi mesmo especial! E o espírito é o mesmo dos bailes tradfolk mas BASTANTE mais anárquico... Também não vou ao Andanças mas também estou com umas saudades :))

Beijos...

Carlos Azevedo disse...

Boas!
É a primeira vez que aqui venho, mas gostei imenso; voltarei regularmente.
Foi a 5.ª vez consecutiva que assisti ao FMM Sines. Em termos musicais, é das coisas mais interessantes que por cá se realizam. Este ano, talvez pela primeira vez, fiquei desiludido com alguns músicos (o cantor de rock chinês Cui Jian não lembrava ao diabo, de tão mau!), mas tudo foi redimido por três actuações: Rachel Unthank, Faiz Ali Faiz e a grande Rokia Traoré. Para além da música, o ambiente que se vive em Sines nos dias do FMM é fantástico.
Um abraço.

António Pires disse...

Carlos:

Seja muito bem-vindo!! E concordo consigo em tudo, menos em relação ao Cui Jian: não o acho mesmo nada mau e, para além do valor musical - oiça com atenção o seu hino «Nothing To My Name» -, tem um enorme valor histórico, pioneiro, na música chinesa. No concerto de Sines as ligações do seu rock à música tradicional chinesa não se notaram tão bem como em muitos discos dele, daí talvez a sensação de «deslocação» que muitos sentiram em relação a ele...

Um abraço...