25 junho, 2007

Estrella Morente - Nova Diva do Flamenco em Portugal



A espanhola Estrella Morente - astro maior do novo firmamento de cantoras de flamenco - vem dar dois concertos em Portugal, dia 29 de Junho no Porto (Casa da Música) e no dia seguinte em Lisboa (Centro Cultural de Belém). Estrella - que tem como heroínas, quase naturalmente, La Niña de los Peines, Carmen Linares e Rocío Jurado, mas também Nina Simone, Chavela Vargas e... Amália Rodrigues - nasceu em Granada, rodeada de flamenco por todos os lados. Filha do cantor Enrique Morente e da bailarina Aurora Carbonell, sobrinha do guitarrista José Carbonell (Montoyita) e do cantor Antonio Carbonell, desde a infância que Estrella demonstrou o seu à-vontade nas artes do flamenco (e dos muitos sub-géneros que o flamenco comporta). Mas isso nunca a impediu de visitar também outros universos musicais, interpretando temas como «Ne Me Quitte Pas», de Jacques Brel, «La Noche de Mi Amor» (versão em espanhol, popularizada por Chavela Vargas, de «A Noite do Meu Bem», de Dolores Durán, ou «Vuelvo al Sur», de Ástor Piazzolla, o que também não será de admirar se pensarmos que o seu pai teve colaborações com Leonard Cohen, Pat Metheny e... os Sonic Youth. O «duende» de Estrella libertou-se há dez anos, tinha ela 17 anitos, num concerto em Madrid. Mas foi em Sevilha que ouviu o maior elogio da sua vida, quando a enormíssima Carmen Linares dela disse: «Esta miúda vai obrigar-nos a uma reforma antecipada». E há poucos anos a sua voz correu mundo através da banda-sonora do filme «Volver», de Pedro Almodóvar. Agora, nestes concertos em Portugal, Estrella Morente vem apresentar o seu terceiro álbum, «Mujeres», acompanhada por muitos músicos do seu clã familiar.

16 comentários:

Tita - Uma mulher, Um blog, algumas palavras disse...

Olha aqui está um concerto que gostava de ver. Tudo farei para não o perder.
Obrigada pela sugestão.
Beijo e boa semana

António Pires disse...

Teresa:

De nada! A Estrella e os seus músicos valem bem a pena!!

Beijo

rotiv disse...

Tenho o cd "Mujeres", mas nao vou poder ir ao CCB ( já tenho bilhetes comprados para outro espectaculo), mas recomendo a Estrella. Uma voz soberba e um conjunto de musicos extraordinarios.
abraço António

nunocavaco disse...

Não conheço mas fiquei com vontade de conhecer.

António Pires disse...

Rotiv:

Subscrevo todas as suas palavras sobre a Estrella.

Abraço

Nuno:

Conheça-a e depois diga alguma coisa... :)

Abraço

isabel victor disse...

Que maravilha ! Adorava ...

Abraço

António Pires disse...

Isabel:

É sim senhor! Uma maravilha.

Abraço

rotiv disse...

Já que se fala de flamenco, permita-me que recomende a cantora Martirio.
É uma figura insólita,talvez até estranha, mas trouxe ao flamenco uma nova roupagem com fusões de jazz, bossa e folk muito interessantes.
O disco "acoplados" em parceria com o virtuoso Chano Domingues merece escuta atenta.

abraços António

un dress disse...

ir não vou mas posso imginar que sim ...

e posso querer conhecer ... e quero! mujeres. ok: registado. :)


beijO

António Pires disse...

Rotiv:

Sim, a Martirio é um «figuraço» da renovação do flamenco. Ela canta como um trovão e foi uma figura quase punk no meio do flamenco... A movida fez-lhe bem, os Veneno também. E continua a ser uma Grande senhora. Obrigado pela lembrança.

Abraço

Un-Dress:

O «Mujeres» está disponível em algumas lojas de discos. Não deve ser difícil dar com o álbum. :)

Beijo

Curiosa disse...

Não conheço mas agora fiquei curiosa! (Às tantas até conheço... Vou tentar ouvir a banda sonora do Volver, para identificar). E ainda sou pessoa para ir a esse concerto no CCB se vir (ou ver? rsrs) que gosto!

Aprende-se tanto por aqui, António!
Venho cá quase todos os dias mas raramente comento. E hoje não resisti! É que...
Juro que não sou vingativa, mas algures no texto pareceu-me ver um parêntesis aberto sem fecho é possível??? eheheh!!!
Este meu humorzinho sarcástico, dá cabo da minha (ainda boa) reputação!!!
;))

António Pires disse...

Curiosa:

Tem toda a razão (blushing!!!): esqueci-me de fechar o parêntesis a seguir a «...Dolores Durán». Não costumo «deixar cair os parêntesis na lama» :) mas desta vez aconteceu. E não, não é nada vingativa ;))))

Bem-vinda e comente sempre!!!

rui mota disse...

Pesem os adjectivos e os três bons discos editados, a verdade é que esta aguardada apresentação de Morente filha em Lisboa, não (me) convenceu. Demasiado "pathos", um reportório estlizado, com uma primeira parte de flamenco operático para Broadway ver e uma segunda parte de "standards" (boleros, tangos e o famigerado "Volver") que estão incluídos em "Mujeres". Para agradar à sala, ainda cantou "a canção do mar" celebrizada por Dulce Pontes, completamente desnecessária. Enfim, um concerto para agradar às "tias" da linha, que foram lá ver e ouvir a "voz" do filme de Almodovar, mas esqueceram-se que era suposto ouvir Flamenco...Salvou-se o guitarrista (Montoyita) esse sim, um intérprete com "duende".

António Pires disse...

Olá Rui (bis),

Só conheço a Estrella Morente de disco e... gosto. Nunca a vi em concerto mas acredito na sua opinião. Obrigado pela partilha e, claro, cá estamos para receber as suas opiniões sempre. Um abraço.

ELERITZ disse...

eu gostei imenso do concerto, acho a opiniao de rui mto interssante, por ser mto diferente da minha;) nao acho que as tias tenham la ido para ver a voz de "volver". duvido k as tias estejam a par das producoes de almodovar (isto e mais publico de mel gibson;)), foram la ouvir flamenco. o k tb contribuiu para uma grande "share " de tias foi o preco do bilhete (35-40 eur).
um abraco

António Pires disse...

Eleritz:

Obrigado pela partilha da opinião, pela visita e, já agora - e mais uma vez - boa sorte com o Divas International!!!

Um abraço