12 junho, 2007

Festival Piazzollex - No Montijo, Com Paixão



Há algumas semanas não fiz nenhuma referência (para grande vergonha minha!) ao festival de tango que decorreu na Voz do Operário, em Lisboa. Mas este, no Montijo, não escapa. E não escapa graças à divulgação que dele faz a Gringa Sempre/Prada, camarada de artes, de preocupações estéticas e de músicas. O festival, de nome Piazzollex, decorre no Montijo nos dias 15, 16 e 17 deste mês, com workshops, filmes, debates e ateliers dedicados ao tango, alguns espectáculos musicais e uma exposição (de Ricardo Videla, mestre da pintura argentina - ver imagem que encima este post - cuja obra pode ser vista a partir de hoje, dia 12, e até dia 17, no Cine-Teatro Joaquim de Almeida). O festival - que assinala quinze anos sobre a morte de Ástor Piazzolla, o homem que levou o tango para as grandes salas internacionais e o elevou a forma de arte superior - inclui os espectáculos «Noite Bandango», pelo quarteto de saxofones português Saxofinia (dia 15, no Cine-Teatro Joaquim de Almeida), «Noite Alemtango», com o quarteto do pianista e compositor Daniel Schvetz com a fadista Mafalda Arnauth como convidada (dia 16, também no Cine-Teatro Joaquim de Almeida, num programa dedicado a Piazzolla e ao escritor Jorge Luís Borges) e «Noite Orquestango», com uma orquestra típica de tango e milongas, formada por instrumentos de cordas, piano e bandonéon (dia 17, ao ar livre, na Praça da República). Todas as informações aqui.

11 comentários:

Eduardo F. disse...

Lá está! Mais um festival...
Será mera questão de oferta e procura?
Que fazem os termos económicos aqui metidos?

Lisboa tem muita gente, isso é verdade.
E também é verdade que é a gente que faz a música...

Mas isto está tão desequilibrado...
Mais um sintoma ou manifestação do desordenamento do país...

(Enfim, lamúrias de um geógrafo...)

António Pires disse...

Olá Eduardo!

Quanto mais festivais, melhor. E seja onde for, digo eu. E, se for olhar para o «mapa» - coisa de geógrafo, digo eu ;) - dos festivais e concertos de que tenho falado por aqui, olhe que isto até está mais equilibrado do que aqui há alguns anos... Deixe lá o Montijo (que não é Lisboa) ter o seu festival de tango...

Grande abraço

Eduardo F. disse...

Pois... um geógrafo um bocado com a cabeça no ar...

Sim, eu também acho que isto está a melhorar.
O que é importante é que eventos musicais se multipliquem pelo país e sirvam de estímulo a reabilitar, ou mesmo criar, as salas que por aí andam às moscas (ou subaproveitadas).

A blogosfera é uma voz com milhares de vozes por trás.
Juntos podemos fazer algo.
Já estamos a fazer algo.

Obrigado, António.

António Pires disse...

Olá Eduardo,

Concordo plenamente com tudo o que diz!! E eu é que agradeço, nomedamente o trabalho que tem feito no Mostrai-vos e no A Cantiga Foi Uma Arma!!

Grande abraço

Bandida disse...

vou tentar ir. o tango e o Piazzolla. e o Piazzolla e o tango.


obrigada por toda a informação.


beijo

B.
________________________

António Pires disse...

Bandida:

Não agradeça! Vá lá e dance um tango por mim...

Beijo

Bandida disse...

não sei dançar. só sei ouvir. e gostar.

:))))


beijo


B.
___________________________

António Pires disse...

Bandida:

Infelizmente, também não sei dançar, nem tango nem outras músicas... Mas, sim, sei ouvir e gostar :)) Ah, e se me dessem a escolher, o tango seria a primeira dança que eu aprenderia. Destacadíssima.

Beijo...

Anónimo disse...

Mais e mais e mais...eventos culturais!!!!
Mais e mais e mais...exposições e pessoas e ver e a comprar !!!
Mais e mais e mais...possibilidades para os artistas de todas as áreas.
Que a festa continue e consiga alegrar e comover as pessoas "cinzentas com gravata"
Os meus parabéns a todos os artistas que participaram e fizeram este evento.

Zabou

Mary Lamb disse...

O Tango, o Tango!
Pena que na Argentina, Piazzolla nao seja propriamente o ícone que estamos habituados a amar pelo mundo. Aqui, Piazzolla é olhado com desconfiança, e a informaçao que se tem, nem sempre é a mais fiável.
Estou há mais de uma semana a tentar saber onde está o túmulo dele, e sou eu a dizer aos Portenhos que o homem está sepultado em França, mas que ainda nao tenho a confirmaçao....
Astor Piazzolla
era demasiado erudito para os Portenhos, e para os argentinos mais ortodoxos, que nao entenderam a evolucao do compositor.

Beijos! ♫

António Pires disse...

Mary Lamb:

Antes de mais, muito obrigado pela visita!!! E, pelo que presumo, está actualmente na Argentina... onde acho que pode procurar o túmulo de Piazzolla: ele morreu em Buenos Aires, apesar de ter ficado doente em Paris, dois anos antes.

Beijos (e volte sempre!)